Depois de reunir mais de 30 mil pessoas no último fim de semana em Brasília, o Favela Sounds vai ganhar uma versão pocket no Rio de Janeiro, dia 16 de dezembro.  Em formato reduzido e apresentando show de 50 minutos, o pocket contará com show do trio de rap feminino ABRONCA, que convida a funkeira carioca Deize Tigrona e a rapper brasiliense Thabata Lorena ao palco. O evento faz parte da programação que encerra o festival Conexidade, entre os dias 15 e 16 de dezembro (o pocket Favela Sounds acontece no domingo, dia 16), e tem apresentação da Oi apoio da Oi Futuro. Também estarão no evento outros festivais patrocinados pela Oi, como o Do Sol (RN) e Se Rasgum (PA), todos, tal como o Favela Sounds, convidados pela equipe gestora da Oi Futuro.

 

O trio de rap feminino Abronca sai direto do Vidigal para o ocupar o centro do Rio de Janeiro com letras cheias de atitude e empoderamento. Jay, Slick e May mostram que o papel da mulher no rap é refletir força e coragem e deixam isso claro em músicas como “Chegando de Assalto”, “Drinks” e a recente “Gangsta”. Para completar a noite, o Abronca convida a funkeira carioca Deize Tigrona, que passou pelo palco do Favela Sounds em Brasília no final de novembro e é a grande matriarca do feminino no funk carioca; e Thabata Lorena, jovem cantora que é hoje uma das principais expoentes do rap feminino no Distrito Federal.

 

ABRONCA (RJ)

A girl band de rap é fruto da comunidade do Vidigal e teve um começo bem diferente das demais bandas que compartilham desse estilo musical no Brasil. O contato com a arte começou nas oficinas do grupo teatral “Nós do Morro” e serviu de base para o início da caminhada na música. Descobertas em um sarau por um produtor de um selo inglês, Slick, Jay e May estouraram primeiro na gringa em 2014, com uma tour pela Europa. Mas, a história estava apenas começando… Com um novo olhar sobre suas carreiras, retomaram a veia rascante do RAP – que sempre tiveram como referência – e em dezembro de 2017, assinaram com a Warner Music Brasil. “Sabíamos que estávamos mais maduras e que precisávamos fazer algo diferente agora. Mudaram muitas coisas: nosso modo de escrever, nosso comportamento, nosso jeito de trabalhar e até as nossas vozes!”, diz Slick. “A arte sempre nos transforma, e continuamos respirando o teatro em nossas vidas. Mas a música é algo inexplicável, acho que desde que nos descobrimos no ramo do rap não pensamos mais em outra coisa e com toda certeza, somos feministas! Toda vez que vamos numa roda de rima ou subimos no palco pra cantar e passar nossa mensagem, estamos defendendo a mulher no rap”, conclui Jay.   

 

DEIZE TIGRONA (RJ)

A carioca da Cidade de Deus é a precursora do feminino no funk carioca, com carreira que teve início nos anos 1990 e segue até hoje como uma voz revolucionária do estilo. O primeiro hit, Injeção, foi sampleado por M.I.A., sob a produção do DJ Diplo. De lá pra cá, a cantora ganhou importantes palcos do mundo, excursionando pela Europa e tendo visibilidade, inclusive, na programação do Rock in Rio Lisboa.

 

THABATA LORENA (DF)

Nascida em Imperatriz, no Maranhão, e criada na periferia de Brasília, Thabata convive desde muito cedo com as dificuldades sociais vividas pela população negra do país. Com uma voz marcante, a cantora vem conquistando o público com sua musicalidade forte e encantadora. Lançou seu primeiro DVD “Novidades Ancestrais” ao vivo em junho de 2017. O DVD é uma extensão de um álbum autoral da cantora maranhense lançado em CD no ano de 2014, resultado de 13 anos de carreira da artista, que busca unir ao rap batuques nordestinos como o samba de coco e a embolada.

 

Serviço

Favela Sounds Pocket

Local: Praça XV, Centro do Rio de Janeiro

Data: 16 de dezembro, domingo

Entrada franca.

Classificação indicativa livre.