ADARRUM – Festival Internacional de Tambores

O Festival Internacional de Tambores, mais conhecido como Festival Adarrum, chega ao Distrito Federal com intuito de trazer a cultura afro-brasileira para a população. A palavra ‘adarrum’ surgiu do idioma Iorubá que significa um toque de atabaques e agogô, em ritmo rápido, contínuo e uníssono. O evento será realizado nos dias 22, 23 e 24 de fevereiro, no Estacionamento 12 do Parque da Cidade, em frente ao Ana Lydia. Os interessados poderão se inscrever, de forma gratuita, no próprio site do evento (http://adarrum.com.br).

Após o sucesso da primeira edição, em 2015, o Adarrum volta ao DF para oferecer, neste mês, workshops com grandes mestres da percussão de diferentes regiões. Os convidados das oficinas explorarão a história e a arte nacional. “O público vai ficar bem servido com os ótimos mestres de percussão afro-brasileira”, antecipa Célio Zidório, coordenador geral de produção do Adarrum.

O evento é realizado pelo Grupo Batukenjé, criado pelo músico e agente cultural Célio Zidório, conhecido como Mestre Célin du Batuk. O Adarrum já possui a inscrição de percussionistas da França, da Alemanha, da Espanha, do Chile, da Argentina e de Marrocos, além de profissionais brasileiros.

Programação – O primeiro dia do Festival Internacional de Tambores, 22, será marcado pelo workshop ‘Tamborizando’, com o mestre Célin Du Batuk, produtor de obras musicais com releitura de sonoridades e de ritmos afro-brasileiros.

A partir das 20h30, haverá a abertura oficial do Adarrum com a fala dos mestres convidados e também com um show percussivo do Batukenjé com participação de Patrícia Gomes, convidada que esteve, por oito anos, com a Banda Timbalada.

Já o segundo dia, 23, será responsável por entreter os brasilienses, a partir das 9h30 com a oficina ‘Conhecendo a Percussão’, ministrada também por Célin. O público-alvo são crianças a partir de 6 anos matriculadas na rede pública de ensino.

A partir das 10h30, o mestre Cacau Arco Verde, coordenador de Oficinas de Ritmos Brasileiros em universidades e espaços culturais em todo o Brasil, na Europa e nos Estados Unidos, ministrará o workshop ‘Lôas populares, oficina de samba de coco & ciranda’. O trabalho mostrará os ritmos populares através do batuque.

Ao meio dia, o Adarrum terá a presença especial do grupo musical Confraria Samba Choro para uma roda interativa com os convidados. Às 14h, o Mestre Paulo Garcia, produtor cultural, diretor musical e percussionista, apresentará as levadas tradicionais do samba-reggae além de falar um pouco de cada instrumento.

Ainda no mesmo dia, a partir das 16h, o mestre Jair Rezende, criador do grupo Lactomia, assumirá o workshop voltado ao candeal e suas riquezas. Através desse curso, o público poderá trabalhar a educação musical em percussão.

Para finalizar o segundo dia do festival, o Adarrum contará com a apresentação de percussão chilena do Centro Cultural La Pincoya, às 18h. Às 18h30, a cantora Dhi Ribeiro, com quase trinta anos de carreira artística, estará presente para finalizar o dia juntamente com os participantes do evento.

O terceiro e último dia, 24, será responsável por fechar o festival com o workshop de samba reggae, com o Mestre Jackson, um dos fundadores do Olodum, a partir das 10h30. Por fim, para encerrar com chave de ouro, o Adarrum irá trazer, ao meio dia, o encontro de tambores com regência percussiva dos mestres convidados.

SERVIÇO

FESTIVAL ADARRUM
O que: Festival Internacional de Tambores – Adarrum
Quando: 22, 23 e 24 de fevereiro de 2019
Onde: Estacionamento 12 do Parque da Cidade, em frente ao Ana Lydia
Inscrições: http://adarrum.com.br

Informações:  Proativa Comunicação