O rapper mineiro lançou seu terceiro álbum, “Ladrão”, no dia 13 de março, mesma data de lançamento dos antecessores: “Heresia” e “O menino que queria ser Deus”. Segundo o artista em entrevista para a Rolling Stone Brasil, a escolha da data não foi programada, como o disco teria ficado pronto próximo do dia 13, Djonga resolveu aproveitar a data “de sorte”. 

 

A capa já demonstra a tradicional ironia de Gustavo Pereira Marques, onde Djonga segura a cabeça de um membro da Ku Klux Klan cheia de sangue com a sua avó sentada na mesa ao fundo. Sobre a capa e contracapa do disco o rapper explica em seu Instagram:

Quando eu era criança, eu andava na rua e me sentia ladrão mesmo quando nunca tinha roubado nada. As pessoas olhavam com medo. Quando cresci mais um pouco, roubei pra ter e pra me sentir melhor, pra me sentir fodão… O tempo passou e eu entendi que tipo de ladrão eu devia ser: esse que busca e traz de volta pras minhas e pros meus. Se preparem pra ver meu melhor, eu juro que eu dei meu melhor, e dessa vez eu to falando sério.  Quando eu disse que queria ser Deus, eu não sabia a responsa que eu tava chamando pra mim. Quando eu entendi, eu percebi o que eu devia fazer, aí eu fui lá e fiz o que eu sempre fiz: roubei, roubei e trouxe de volta!”

 

Com hits como “Hat Trick”, “Ladrão” e “Leal”, o álbum foi disponibilizado primeiro no youtube, para que todas as pessoas tenham acesso a ele juntas, já que nem todos tem assinatura das tradicionais plataformas de streaming. Na sexta-feira, Ladrão estará disponível em todas as plataformas.

Ouça o álbum completo no Youtube:

<iframe width=”560″ height=”315″ src=”https://www.youtube.com/playlist?list=PLEE-L5Au_XzcTtkFvGmQOAjVPcDVqYw5I” frameborder=”0″ allow=”autoplay; encrypted-media” allowfullscreen></iframe>